Os seguintes Workshops serão ministrados no dia 31 de outubro. Veja a programação e os locais abaixo. É possível se inscrever em 2 workshops, durante o cadastro no evento (um de manhã e outro à tarde).

Para entender a localização dos workshops, verifique o mapa do evento.


MANHÃ – 9h – 12h

Sala FEQ PG 15 – Internet e ensino: métodos e ideias para uso indolor de ferramentas
Responsáveis: Átila Iamarino (Nerdologia – UNICAMP), Rafael Bento Soares (Numinalabs) e Leandro R. Tessler (UNICAMP)

Ferramentas de mídias sociais podem promover aprendizagem, colaboração, participação em aula e até o impacto do conteúdo da disciplina.
Diferentes tipos de mídias como blogs, wikis, redes sociais como Twitter e Facebook ou até mídias com vídeos (YouTube) e podcasts podem ser incorporadas em aula com diferentes finalidades e dificuldades de adoção. Este workshop discutirá possíveis usos destas ferramentas com suas vantagens e desvantagens.
Especial atenção será dada às dificuldades e cuidados necessários. Serão apresentados também exemplos de uso  de cada uma delas.

 


Sala EA2 – PORTIFÓLIOS REFLEXIVOS: estratégias de desenvolvimento profissional do estudante universitário
Responsáveis: Ana Maria Falcão de Aragão (UNICAMP) e Roberto Iaochite (UNESP

Objetivamos apresentar como os portifólios reflexivos, pelas características que apresentam e pelos princípios que subentendem, são instrumentos cuja utilização nos processos de formação se revelam como estratégia muito vantajosa nos processos de construção de conhecimento. Na organização dos portifólios, a forma narrativa facilita a compreensão dos fatos narrados, dos motivos, justificações e sentidos que o narrador lhes atribui e, ainda, do pensamento do narrador subjacente ao processo interpretativo das ocorrências. Constituem, por isso, uma fonte de conhecimento para os formadores de professores e assumem desse ponto de vista uma dimensão epistêmica.


Sala IMECC 121 – Aula dialogada com artigo científico, como estratégia ativa de ensino
Responsáveis:  Fernanda Klein Marcondes e Lais Cardozo (UNICAMP)

O objetivo desta oficina é demonstrar, em uma atividade prática, a realização de aula dialogada com discussão de artigo científico. Em grupos, os participantes farão inicialmente a análise e discussão dos resultados de um artigo científico.
E, após breve discussão geral, será demonstrada a exposição oral do tópico em estudo, alternada com questões para discussão, relacionando o artigo científico, com o assunto da aula. Serão apresentados dados referentes à percepção discente sobre esta estratégia de ensino, em curso na área da saúde e serão discutidas possibilidades de adaptação desta estratégia a diferentes conteúdos, áreas e cursos.

 


Sala FEA – FA15 – Workshop Novela de Escola
Responsáveis:  Ângela Soligo (UNICAMP)

Propõe-se realizar uma reflexão sobre as representações da escola e das vivências escolares, a partir das memórias dos participantes, que envolvam experiências positivas e negativas de sua trajetória escolar. A partir das reflexões e da identificação de pontos covergentes e divergentes dessas experiências, serão organizados textos literários chamados Novela de Escola, que representam sínteses das vivências escolares e se constituem em interessantes representações diagnósticas da educação e da escola, em suas constâncias históricas e transformações. A experiência com a Novela de Escola foi proposta originalmente pela autora quando ministrou a Disciplina Juventudes,  cidadania e Psicologia, no Profis – Unicamp.


Sala Auditório IFGW – Sete anos de inovação em sala de aula: aprendizagens com metodologias ativas em disciplinas de Física
Responsável:  Rickson Coelho Mesquita (UNICAMP)

Desde 2012, ano em que utilizamos pela primeira vez um sistema de gerenciamento de aprendizagem para inverter a sala de aula, até os dias de hoje, em que a aprendizagem baseada no domínio tem estimulado cada vez mais estudantes ao mesmo tempo que desafia preceitos básicos da administração acadêmica, o Instituto de Física (IFGW) da UNICAMP tem experimentado diversas formas de ensino ativo. Ao longo deste processo colecionamos sucessos e frustrações, adquirimos experiências e muito aprendizado. O objetivo deste workshop é contar a trajetória percorrida no uso de metodologias ativas nas disciplinas do IFGW, apresentar os resultados quantitativos e qualitativos destas mudanças, e discutir o que nós também aprendemos ao tentar ensinar de forma diferente.


Sala FEA Auditório 2 – Elaboração de Projeto Pedagógico no Ensino Superior
Responsável:  Silvia Passeri (UNICAMP)

Princípios básicos da elaboração do Projeto Pedagógico. Planejamento educacional e planejamento de ensino. Diretrizes curriculares nacionais. Componentes do projeto pedagógico. Itens relacionados a Universidade e a região de abrangência em que se localiza. O curso de Graduação: suas características, legislação, filosofia e estrutura pedagógica. Metodologias de ensino e avaliação da aprendizagem. Recursos humanos e tecnológicos. Ambientes de ensino e serviços de apoio aos estudantes. Indicadores de avaliação e acreditação. Particularidades e estratégias futuras para o curso.


Sala IQ 14 – Casos de Ensino: vivências pedagógicas, possibilidades formativas e práticas profissionais de professores
Responsável:  Alessandra Lopes (IEP-UNESP)

Os Casos de Ensino foram criados e utilizados por Lee Shulman na década dos anos 80, especialmente na formação de professores e de outros profissionais. Os Casos de Ensino são narrativas reais ou baseada na realidade das vivências em sala de aula, abordando situações de tensão. Os Casos de Ensino não são modelos a serem seguidos, mas ambiente que explicita dilemas, conflitos, queixas e demandas. Os Casos de Ensino têm contribuído para o desenvolvimento profissional de professores, principalmente no que diz respeito ao autoconhecimento e autocrítica profissional; e para o raciocínio pedagógico do ensinar e aprender como processos interdependentes. O presente workshop tem como objetivo a apresentação de como produzir Casos de Ensino e utilizá-los como possibilidades formativas, de identificação, de análise e de avaliação de práticas pedagógicas de professores em diferentes níveis de ensino.


Sala IMECC 221 – Fantástico Mundo Matemático: A única habilidade para o futuro é a criatividade
Responsável:  Régis Varão (UNICAMP)

Vivemos um momento de rápida transformação e não sabemos como será o mundo em alguns anos. Boa parte dos nossos alunos terão empregos que ainda não existem. Por exemplo, não sabemos qual habilidade técnica será suprimida pela tecnologia nos próximos anos, mas existe algo que nenhuma inteligência artificial foi capaz de superar: a criatividade humana. O objetivo dessa oficina é discutir a criatividade tendo como pano de fundo o que a matemática tem a ensinar. Um estudo de caso para a criatividade será feito em cima do canal no YouTube “Fantástico Mundo Matemático”.



TARDE – 14h – 17h

Sala IMECC 121 – Aplicação de jogos educacionais no ensino superior
Responsáveis:  Fernanda Klein Marcondes e Lais Cardozo

O objetivo desta oficina é apresentar um jogo educacional e demonstrar, de forma prática, o seu uso no ensino superior. Em grupos, os participantes, serão convidados a resolver um quebra-cabeça sobre o ciclo cardíaco, a fim de vivenciarem a necessidade de lembrar, relacionar e integrar conceitos prévios, bem como de exercer a habilidade de argumentação, durante a atividade.
Após a montagem do jogo, serão apresentadas questões sobre o tema a fim de se evidenciar a aplicação dos conceitos aprendidos em situações clínicas. Serão apresentados dados referentes ao efeito de jogos educacionais sobre o aprendizado de alunos de cursos na área da saúde, e serão discutidas possibilidades de adaptação desta estratégia a diferentes conteúdos, áreas e cursos.

 


Sala FEQ PG 15 – O Podcast como ferramenta de Aprendizado Imersivo
Responsável:  Ivan Mizanzuk (PUCPR)

O podcast é considerado uma das novas mídias que mais vem crescendo nos últimos anos. Sendo uma produção totalmente em áudio (como uma “rádio pela internet”), ela possui a vantagem de se poder produzir e narrar grandes histórias com baixo custo. Logo, lança-se o desafio: quais os melhores caminhos para se informar e entreter ao mesmo tempo, resultando assim em uma poderosa ferramenta no aprendizado?

 


Sala FEQ 21 – Team Based Learning
Responsáveis: Everton Soeiro e Valéria Vernaschi Lima (UFSCAR)

Atividade de TBL compartilhamento (Team Based Learning), tendo como tema a própria estratégia educacional TBL. Cuja intencionalidade será explorar os usos, limites e potencias , aplicações e reflexão sobre esta estratégia.

 

 


 

Sala FEQ 11 – Uso de Storytelling no ensino de graduação
Responsável: Daniele Sacardo (UNICAMP)

Ferramenta comumente associada à comunicação publicitária, o storytelling pode ser pragmaticamente definido como a tecnarte de elaborar e encadear cenas, dando-lhes um sentido envolvente que capte a atenção das pessoas e enseje a assimilação de uma ideia central. Empregada no ensino de graduação, tal ferramenta pode despertar maior interesse dos alunos pelos conteúdos que se pretende ensinar, além de propiciar métodos inovadores de avaliação da aprendizagem. O objetivo deste workshop consiste em compartilhar um  método de ensino baseado nessa ferramenta, a partir da experiência de aplicação de storytelling nas disciplinas de ética e bioética no curso de graduação de medicina da UNICAMP.


Sala FEA – FA15 – Um framework para a integração das TIC nas práticas de sala de aula: estudo caso Programa InTEcEdu
Responsável: Juarez Bento da Silva (UFSC)

A palestra apresentará o framework para integração de tecnologias na educação básica, implementado no Programa InTecEdu, desenvolvido pelo Laboratório de Experimentação Remota (RExLab), da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Inspirado na cultura maker, o modelo busca oportunizar aos docentes, da educação básica, que sejam os protagonistas da integração de tecnologia em seus planos de aulas. Uma vez que, estes estão encarregados de construir e produzir seus conteúdos digitais e outros recursos para suporte de suas atividades didáticas. Será apresentada a metodologia de implementação do framework, bem como os resultados até o momento de sua aplicação em escolas de educação básica da rede pública.


Sala FEQ 12 – Aprender Fazendo
Responsável: Maria Brasil (UNICAMP)

O método mais natural de aprender é fazendo. Mas o acúmulo exponencial de conhecimento gerou a necessidade de agilizar esse processo. Assim a aprendizagem tendeu a se transformar num processo passivo de transmissão de informações. Essa aceleração trouxe alguns prejuízos, como o desinteresse e a inabilidade dos estudantes em resolver problemas reais. O movimento maker é uma ferramenta para pode ajudar a resolver esses problemas. Um makerspace é literalmente um espaço de fazer. Fazer o quê? Nesse workshop vamos contar e demonstrar de forma prática um pouco do que se pode fazer num makerspace e porque esses espaços podem ser muito úteis para a educação de pessoas de todas as idades.


Sala CB 13 – Estudo de casos sobre a Metodologia sala de Aula Invertida
Responsável: Renan Lima (ITA)

Desde 2016, eu utilizo Sala de Aula Invertida em diversas disciplinas de Matemática no ITA. Neste Workshop, falarei de alguns desafios e reflexões para o Professor que deseja mudar a sua Sala de Aula. Será discutido um pouco sobre postura do Professor, a estrutura que a disciplina precisa (material de apoio) para que a Sala de Aula Invertida funcione. Será estudado alguns cases aqui no ITA e farei um breve relato na Sala de Aula Invertida que uma Professora da UTFPR utilizou em sua disciplina de Geometria Analítica. Além disso, falarei de um case meu que a Sala de Aula Invertida não funcionou.


Sala IMECC 221 – Laboratório Remoto no Ensino de Ciências
Responsável: Eduardo Galembeck (UNICAMP)

O workshop abordará como a Internet das Coisas pode beneficiar o ensino de de ciência na construção de aparatos que podem ser manipulados remotamente para a realização de experimentos originais, contribuindo com uso de metodologias de ensino por investigação.


Sala EA2 – Autorregulação da aprendizagem
Responsável:  Adriane Pelissoni, Marilda Graciola e Maria José Martins (UNICAMP)

A oficina objetiva promover a reflexão sobre o processo de aprender dos estudantes na universidade e o papel do docente e da instituição na construção da autonomia dos alunos, bem como, apresentar e discutir alternativas de uma prática de promoção de competências de aprendizagem por meio do processo de autorregulação. Será organizada com base no projeto “Cartas do Gervásio ao seu umbigo: comprometer-se com o estudar na educação superior” (ROSÁRIO et al. 2017), a partir de breve exposição conceitual e atividades práticas.


Sala IQ 14 – Desenvolvimento interpessoal na Universidade: Possibilidades com o ensino de habilidades sociais
Responsável: Daniele Lopes (UNESP)

Na Psicologia há um campo teórico-prático denominado Treinamento das Habilidades Sociais (THS) que tem como objeto de estudo o desempenho de pessoas em interações e relações sociais. O referido campo já produziu evidências que alguns comportamentos sociais, denominados de habilidades sociais, facilitam e se relacionam com a qualidade das interações e relações sociais, além de prevenir e reduzir dificuldades interpessoais. O objetivo do workshop é apresentar a importância da inserção do ensino direto de habilidades sociais na Universidade e descrever algumas possibilidades de programas.


Sala FEA Auditório 2 – Design Thinking para Professores do Ensino Superior
Responsável: Getúlio Antero de Deus Júnior (UFG)

O Design Thinking é uma ferramenta importante na solução de problemas e projetos. Será que todo professor precisa de design? Acreditamos que sim, em especial para ajudar seus pupilos a sair da zona de conforto. Assim, em tempos de uso das metodologias ativas tais como Aprendizagem Baseada em Problemas (do inglês: Problem-based Learning – PBL) e Aprendizagem Baseada em Projetos (Project Led Education – PLE), o Design Thinking pode fazer isso por meio de suas inúmeras ferramentas em quatro etapas: (a) Imersão; (b) Análise e Síntese; (c) Ideação; e (d) Prototipação. Nessa oficina hands-on (“mão-na-massa”), os cursistas irão conhecer e experimentar algumas ferramentas de Design Thinking por meio da prática aplicada ao Ensino Superior