O VII Seminário “Inovação Curricular no Ensino Superior: Transformar Vivências, Conectar Aprendizagens” dá sequência à série de eventos bianuais, bem sucedidos e avaliados, desenvolvidos e sediados pela Unicamp, desde 2007. Esse evento busca favorecer a identificação pelos professores das potencialidades pedagógicas propiciadas pelas atuais condições tecnológicas e que tenham clareza dos objetivos de aprendizagem ao utilizá-las, mas não se restringe somente a elas.

Os objetivos dessa edição do evento são:

–  favorecer a discussão, reflexão, vivência e trocas acerca de inovações curriculares no ensino superior empreendidas em diversos âmbitos como projetos pedagógicos de cursos, disciplinas, conteúdos, metodologias, avaliação, recursos didáticos, ambiente virtuais de aprendizagem, recursos tecnológicos, relação professor- aluno, relação aluno-conhecimento, dinâmicas de autoconhecimento;

– ressaltar a inovação curricular no ensino superior como objeto de pesquisa sobre o processo de ensino e aprendizagem, compreendendo-a como atividade pedagógica articulada aos propósitos da formação do estudante;  

– fortalecer o intercâmbio de iniciativas de inovações curriculares desenvolvidas e experienciadas na docência e aprendizagem das diferentes instituições de ensino superior do estado de São Paulo e do país;

–  promover o aprofundamento de questões teóricas e práticas relacionadas às inovações curriculares de forma a contribuir para o aprofundamento da reflexão sobre as adequações de cada prática docente, para os objetivos e a clientela específicos; – proporcionar conhecimentos sobre o efetivo impacto das inovações curriculares nas atividades docentes de formação discente.

O evento busca ser, em si, uma inovação, e nesta edição incorporou atividades e espaços diferenciados como webnarios, talks, painéis, sessão diálogos, fórum, vivências de novas tecnologias e metodologias, além de palestras, apresentações orais, sessão de pôsteres, workshops, feira de livros, exposição de tecnologias, atividades culturais.

Para tanto, foram escolhidos eixos que se conectam diretamente com seus propósitos:

– projetos inovadores de curso;
– projetos inovadores de estágios curriculares;
– curricularização da extensão;
– estratégias educacionais inovadoras;
– novas formas de avaliação;
– dinâmicas da relação professor-aluno;
– novas visões no acesso e desenvolvimento acadêmico;
– perspectivas inovadoras de formação e atuação docente no ensino superior.

Justificativa

A comunidade acadêmica das universidades públicas paulistas tem, na temática do evento Inovações Curriculares, uma oportunidade de conhecer, debater e ampliar conhecimentos sobre experiências, desenvolvidas ou em desenvolvimento, nas questões curriculares, que buscam novas formas de desenvolver atividades voltadas para os propósitos da educação superior na contemporaneidade. Estes propósitos envolvem, cada vez mais, o corpo docente, os pós-graduandos e gestores na preocupação com uma mais apropriada forma de conduzir a formação do estudante na graduação. O evento tem também a preocupação de fortalecer o coletivo das instituições de ensino superior do estado de São Paulo em relação à possibilidade de transformar vivências e conectar aprendizagens, aspecto escolhido para ser o foco central da atual edição.

A educação superior brasileira, e a paulista em particular, tem buscado ao longo dos tempos  acompanhar as expressivas transformações que acontecem na sociedade e trabalhá-las por meio da estruturação de inovações pedagógicas no processo de ensino e aprendizagem. Embora existam políticas de educação que contemplem essas transformações, é de conhecimento que muitas das inovações curriculares ocorrem por iniciativas pessoais de docentes, de um grupo de pesquisa ou mesmo de um curso ou instituição. Assim, o espaço de socialização oferecido pelo evento tem sido de grande importância no ambiente universitário.

Almeida (2013), ao se referir às inovações pedagógicas que acontecem no ambiente universitário, aborda o conceito de “inovações” de forma ampla, e é no mesmo sentido que abordamos “inovações” neste evento. Isto é, novas possibilidades de reconfiguração da prática pedagógica, de abertura e flexibilidade do currículo, de mobilidade de tempo, espaço e contexto de aprendizagem, de construção de significados e produção de conhecimento. São atividades diversas que potencializam o trabalho docente e discente com o currículo real, por meio de aprendizagem ativa do aluno.